Última atualização:

24/07/2009, 12:45


Veja Também:

Fábulas

Jean de la Fontaine


Inspirado nas tradicionais fábulas gregas atribuídas a Esopo, onde são apresentadas lições morais a partir de histórias onde os personagens são animais, La Fontaine criou dezenas de poemas curtos, divididos em doze partes. Muitas dessas histórias tornaram-se famosas e fazem parte da infância das crianças ocidentais desde sua publicação no século XVIII. Os animais ganharam estereótipos bem marcantes para facilitar a compreensão da moral das histórias. São exemplos disso o corajoso leão, o humilde rato, a astuta raposa, a pretensiosa lebre e o traiçoeiro lobo, entre outros.

La Fontaine também usou imagens mais abstratas. Ele fala de muitos outros assuntos, sempre de forma alegórica: a morte, o amor, o casamento, a sabedoria, a loucura, a doença, o sofrimento... Além disso, ele intercala suas fábulas com narrativas sobre Esopo e seu tempo, bem como diversos textos curtos dirigidos aos nobres franceses mais destacados da sua época. No entanto, são os maravilhosos animais de La Fontaine que perpetuam sua obra até os nossos dias.

Neste resumo, são apresentados os títulos originais de todas as histórias, que nem sempre correspondem aos seus títulos modernos. No caso das histórias mais conhecidas também é apresentada uma pequena explicação sobre o tema abordado.

Livro I

A cigarra e a formiga. Uma cigarra que passou o verão inteiro cantando pede comida à formiga no inverno, mas ela diz que não irá ajudá-la.

O corvo e a raposa. A raposa elogia a bela voz do corvo para que ele deixe cair o queijo que carrega no bico.

A rã que queria ser grande como o boi. Enchendo-se de ar, a rã tenta inutilmente ficar tão grande e imponente como o boi.

As duas mulas.

O lobo e o cão.

A vitela, a cabra e a ovelha em sociedade com o leão.

O alforje.

A andorinha e os passarinhos.

O rato da cidade e o rato do campo. O rato do campo é convencido a viver na cidade, mas logo descobre os problemas que terá que enfrentar.

O lobo e o cordeiro.

O homem e sua imagem.

O dragão de várias cabeças e o dragão de várias caudas.

Os ladrões e o asno.

Simonides poupado pelos deuses.

A Morte e o infeliz.

A Morte e o lenhador.

O homem de meia-idade e suas duas professoras. A mulher velha tira todos os cabelos pretos do homem, enquanto a mulher jovem tira todos os brancos.

A raposa e a cegonha. A raposa oferece um almoço à cegonha num prato raso, mas a cegonha retribui com um jantar numa garrafa bem estreita.

A criança e o mestre-escola.

O galo e a pérola.

Os marimbondos e as abelhas.

O carvalho e o caniço.

Livro II

Contra os que têm o gosto difícil.

A assembléia dos ratos. Os ratos decidem colocar um guizo no pescoço do gato, mas nenhum tem coragem de cumprir essa tarefa.

O lobo acusando a raposa diante do juiz macaco.

Os dois touros e a rã.

O morcego e as duas doninhas.

O pássaro ferido por uma flecha.

A cadela e sua acompanhante.

A águia e o escaravelho.

O leão e o mosquito. Um mosquito atormenta o leão até vencê-lo, mas é apanhado por uma minúscula aranha.

O asno carregado de esponjas e o asno carregado de sal.

O leão e o rato. O humilde rato salva o poderoso leão roendo as cordas da rede que o prendia.

A pomba e a formiga.

O astrólogo que se deixou cair num poço. Um astrólogo anda tão distraído olhando o céu que cai num poço.

A lebre e os sapos.

O galo e a raposa. A raposa tenta convencer o galo que todos os animais agora são amigos.

O corvo que voava como a águia.

O pavão que se julgava Juno. O pavão se queixa que sua voz é feia demais.

A gata transformada em mulher. Mesmo transformada, a gata não deixa de seguir seus instintos.

O leão e o asno gastador.

Testamento explicado por Esopo.

Livro III

O moleiro, seu filho e o asno.

Os membros e o estômago.

O lobo convertido em pastor.

Os sapos que exigiram um rei. Os sapos pedem a Júpiter um rei, mas ele não manda quem eles esperavam.

A raposa e o bode. A raposa tenta convencer o bode a descer da montanha e pastar perto dela.

A águia, a javali e a gata.

O bêbado e sua mulher.

A gota e a aranha.

O lobo e a cegonha. A cegonha salva o lobo que estava se engasgando, mas em troca só recebe ingratidão.

O leão abatido pelo homem.

A raposa e as uvas. A raposa tenta inutilmente pegar uvas fora do seu alcance.

O cisne e o cozinheiro.

Os lobos e as ovelhas.

O leão velho.

Filomelo e Proné.

A mulher afogada.

A doninha que entrou num celeiro.

O gato e o velho rato.

Livro IV

O leão amoroso. Um leão esta disposto a todos os sacrifícios para se casar com uma bela jovem.

O pastor e o mar.

A mosca e a formiga.

O jardineiro e seu senhor.

O asno e o cachorrinho. Esperando um melhor tratamento pelo seu dono, o asno começa a imitar o comportamento do cachorrinho.

O combate dos ratos e das doninhas.

O macaco e o golfinho.

O homem e o ídolo de madeira.

O gaio enfeitado com as penas do pavão.

O camelo e os bastões flutuantes.

A rã e o rato.

Tributo enviado pelos animais a Alexandre.

O cavalo que queria se vingar do cervo.

A raposa e o busto.

O lobo, a cabra e o cabrito.

O lobo, a mãe e a criança.

Palavra de Sócrates.

O ancião e suas crianças.

O oráculo e o ímpio.

O avarento que perdeu o seu tesouro.

O olho do dono.

A cotovia e seus filhotes, com o dono de um campo.

Livro V

O lenhador e Mercúrio.

O pote de barro e o pote de ferro.

O peixinho e o pescador.

As orelhas da lebre.

A raposa que teve a cauda cortada.

A velha e os dois servos. Os servos se livram do galo para poderem acordar mais tarde, mas não funciona.

O sátiro e o passante.

O cavalo e o lobo.

O camponês e suas crianças.

A montanha que pariu. Uma montanha começa a fazer barulhos assustadores, mas tudo o que ela produz é um pequeno rato.

A Fortuna e o menininho.

Os médicos.

A galinha dos ovos de ouro. Uma galinha coloca um ovo de ouro todos os dias, mas a ambição dos seus donos coloca tudo a perder.

O asno carregando as relíquias.

O cervo e a vinha.

A serpente e a lima.

A lebre e a perdiz.

A águia e o mocho.

O leão indo para a guerra.

O urso e os dois companheiros.

O asno vestido com a pele do leão. Um asno se veste de leão e engana todos os animais, até que começa a zurrar.

Livro VI

O pastor e o leão.

O leão e o caçador.

Febo e Bóreas.

Júpiter e o meeiro.

O frango, o gato e o ratinho.

A raposa, o macaco e os animais.

A mula se vangloriando de sua genealogia.

O velho e o asno.

O cervo se vendo na água.

A lebre e a tartaruga. A tartaruga desafia a convencida lebre para uma corrida.

O asno e seus senhores.

O sol e os sapos.

O aldeão e a serpente.

O leão doente e a raposa.

O passarinheiro, o açor e a cotovia.

O cavalo e o asno.

O carroceiro atolado.

O charlatão.

A discórdia.

A jovem viúva.

Livro VII

Os animais doentes de peste.

O mal casado.

O rato que se retirou do mundo.

A garça.

A filha.

Os desejos.

A corte do leão.

Os falcões convencidos e os pombos.

O coche e a mosca.

A leiteira e o pote de leite.

O curado e o morto.

O homem que corre atrás da Fortuna e o homem que a recebe no seu leito.

Os dois galos.

A ingratidão e a injustiça dos homens no reverso da Fortuna.

As adivinhas.

O gato, a doninha e o coelhinho.

A cabeça e a cauda da serpente.

Um animal na Lua.

Livro VIII

A Morte e o moribundo.

O sapateiro e o financista.

O leão, o lobo e a raposa.

O poder das fábulas.

O homem e a pulga.

As mulheres e o segredo.

O cão que carrega em seu pescoço o jantar de seu dono.

O risonho e os peixes.

O rato e a ostra.

O urso e o amante de jardins.

Os dois amigos.

O porco, a cabra e o carneiro.

Tircis e Amarante.

Os funerais da leoa.

O rato e o elefante.

O horóscopo.

O asno e o cão.

O paxá e o mercador.

A vantagem da Ciência.

Júpiter e os trovões.

O falcão e o capão.

O gato e o rato.

A torrente e o rio.

A educação.

Os dois cães e o asno morto.

Demócrito e os abderianos.

O lobo e o caçador.

Livro IX

O depositário infiel.

Os dois pombos.

O macaco e o leopardo.

A bolota e a abóbora.

O escolar, o pedante e o dono de um jardim.

O escultor e a estátua de Júpiter.

A rata transformada em jovem.

O bobo que vende sabedoria.

A ostra e os querelantes.

O lobo e o cão magro.

Nada de mais.

O círio.

Júpiter e o passageiro.

O gato e a raposa.

O marido, a mulher e o ladrão.

O tesouro e os dois homens.

O macaco e o gato.

O milhafre e o rouxinol.

O pastor e seu rebanho.

Livro X

Os dois ratos, a raposa e o ovo.

O homem e a cobra.

A tartaruga e os dois patos.

Os peixes e o cormorão.

O escavador e seu comparsa.

O lobo e os pastores.

A aranha e a andorinha.

A perdiz e os galos.

Os cães a quem cortaram as orelhas.

O pastor e o rei.

Os peixes e o pastor que tocava flauta.

Os dois papagaios, o rei e seu filho.

A leoa e o urso.

Os dois aventureiros e o talismã.

Os coelhos.

O mercador, o cavalheiro, o pastor e os filhos do rei.

Livro XI

O leão.

Os deuses instruem um filho de Júpiter.

O fazendeiro, o cão e a raposa.

O macaco de um habitante do Mogol.

O leão, o macaco e os dois asnos.

O lobo e o raposo.

O camponês do Danúbio.

O ancião e os três jovens.

O rato e a coruja.

Livro XII

Os companheiros de Ulisses.

O gato e os dois pardais.

O tesoureiro e o macaco.

As duas cabras.

O gato velho e a jovem rata.

O cervo doente.

O morcego, a moita e o pato.

A disputa dos cães e gatos, e a dos gatos e ratos.

O lobo e a raposa.

O caranguejo e sua filha.

A águia e a pega.

O rei, o milhafre e o caçador.

A raposa, as moscas e o ouriço.

O Amor e a Loucura.

O corvo, a gazela, a tartaruga e o rato.

A floresta e o lenhador. As árvores aceitam ajudar o lenhador a ter seu machado, mas ele logo o usa contra elas.

A raposa, o lobo e o cavalo.

A raposa e os frangos da Índia.

O macaco.

O filósofo cita.

O elefante e o macaco de Júpiter.

Um louco e um sábio.

A raposa inglesa.

O sol e os sapos.

O Casamento e o Amor.

A assembléia dos ratos.

Dafne e Alcimaduro.

O juiz, o hospitalário e o solitário.